Compartilhe:   

Para 2030: Sony apresenta sistema pré-pago para energia elétrica

por Victor Vasques

Se você acredita que o mundo vai acabar em 2012, pode ficar tranquilo. Porque se o fim está próximo, ele será em 2030. Não digo isso porque recebi algum sinal divino, mas porque todas as datas convergem para a próxima década de 30. Primeiro foi a previsão de boom urbano, comentado no texto “China: Como o desenvolvimento das novas cidades influencia no mundo”, agora é a vez da Sony citar a fatídica data.

Calma, tudo não passa de uma brincadeira e as previsões só são boas. A ideia da empresa japonesa é que em 2030 possamos usar energia sem fio (todos dizem amém). De acordo com o apresentado em um vídeo conceito da empresa, será possível usar um sistema integrado com a tecnologia FeliCa (algo como um RFID mais evoluído) para que passemos o cartão e paguemos pela energia no local.

Explicando de forma resumida, teríamos terminais distribuídos por todos os lugares e bastaria passar o cartão, conectar e usar o ponto de energia alternativa, proveniente de sistemas eólicos, solares ou de biomassa.

O sistema também permitiria substituir a dependência por uma empresa de energia elétrica dentro de casa, já que placas solares alimentariam grande parte do consumo residencial.

Claro que tudo não passa de um conceito e a empresa japonesa esbarraria em monopólios energéticos, jurisdições complicadas e, até mesmo, na aceitação do consumidor. Agora que seria o mundo ideal… bem, isso seria.


Victor Vasques é designer, editor chefe do Com limão e sócio proprietário da Citrus Consultoria. Como gestor de marcas e criativo, já atuou com grandes marcas, como Discovery, UOL, iG, Globo.com e VEJA.

Eu irei lhe fazer uma proposta que você não poderá recusar - Don Vito


0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


Voltar para o topo ↑