com-limao-everything-is-a-remix-copiar-transformar-combinar-destaque

Compartilhe:   

Everything is a Remix: A evolução é copiar, transformar e combinar

por Stuart

Aloha! Já faz alguns uns dias que estava pra escrever sobre isso pra vocês , mas ontem chegou uma ocasião que serviu perfeitamente.

Mais cedo o Victor me passou um link da UOL Jogos falando sobre a abertura da nova novela Amor Eterno Amor, da Globo, (por sinal muito bonita),  só que o site disse que eles disseram se “inspiraram” (copiaram) a entrada do jogo Zelda Skyward Sword. Para completar, ainda disseram: “UOL Jogos entrou em contato com a assessoria da Globo questionando a “inspiração” da abertura da novela mas até o momento, não obteve resposta”. Coisa de cabaço!

Obviamente é inspirado no jogo e/ou em outras coisas. O visual Skyward Sword é inspirado nas pinturas de um pintor impressionista chamado Paul Cézanne, mas não vi em canto nenhum a Nintendo sendo questionada sobre isso. Além de cabaço é hipócrita. Todo mundo é um pouco. Isso me lembrou uma frase célebre da bíblia “Vês o cisco no olho do teu irmão e não observas a trave que está no teu próprio olho?”. Raaaaaça de víboras! Enfim…

Foi aí que achei uma série muito boa chamada Everything is a Remix(em tradução livre: “Tudo é um Remix”) feita por um sujeito chamado Kirby Ferguson que, em quatro vídeos, explica mais ou menos como tudo funciona, ou melhor, como surgem as ideias. Ele simplificou o termo: “Evolução: Copiar, Transformar, Combinar”. É assim que tem funcionado a vida e a sociedade.

Ele entra em pontos interessantes (para quem é putinha de Steve Jobs, George Lucas, Tarantino e afins) sobre as cópias: “Quando copiamos, justificamos. Quando copiam de nós, abominamos”. Ele desmerece iluminadores, idealistas, pensadores que mudaram a forma de ver, entender o mundo com suas ideias ou invenções? Não, mas tira a ideia de “Eu criei isso SOZINHO”. E é assim que o mundo é.

Ele explica porque somos extremamente territorialistas, simplesmente pelo medo da perda. “As pessoas tendem a pôr um valor maior nas suas perdas do que nos seus ganhos”. Quando apontamos que tal coisa é plágio, é cópia, é como se as ideias fossem uma coisa única e original, com limites definidos onde começa e onde termina. E não é assim.

Falei demais e qual o objetivo? Tentar parar de achar que tudo é novo e quando vir algo, não valorizar aquela ideia, pois já viu algo parecido em outro lugar, talvez? Acho que é um começo. Eu me frustrava direto, quando pensava que uma coisa era genial e alguém já tinha tido aquela ideia antes, sem me dar conta que eu estava exercitando meu próprio poder de criação. Exercite o seu! =)

Para os que ficaram curiosos, o site Universal Subtitles possui todos os vídeos legendados. Confira:

Everything is a Remix – Parte 1 (legenda em português)

Everything is a Remix – Parte 2 (legenda em português)

Everything is a Remix – Parte 3 (legenda em português)

Everything is a Remix – Parte 4 (legenda em português)

Para fechar, uma música sobre isso tudo: Móveis Coloniais de Acaju – Pra Manter ou Mudar, que traduz bem como sempre pensei e me sinto a respeito disso tudo. Bom fim de semana, povo!


Stuart é ilustrador e designer. Gosta de ler histórias de terror, ficção científica e livros de crianças, além de escrever e ilustrar suas próprias histórias. Atualmente trabalhar no C.E.S.A.R como designer para empresas como Motorola e Samsung

Quando eu era menino, os mais velhos perguntavam: o que você quer ser quando crescer? Hoje não perguntam mais. Se perguntassem, eu diria que quero ser menino" - Fernando Sabino


1

One Response to Everything is a Remix: A evolução é copiar, transformar e combinar

  1. cilene says:

    Perfeito. Sempre quis dizer isso, mas nunca conseguir com tanta eficiência, rsrs. Vc esqueceu de abordar um ponto muito importante nos dias de hoje também: a “historia do Google” de conteúdo original.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


Voltar para o topo ↑

  • Newsletter

  • Últimos tweets

  • Facebook

  • Google+