com-limao-guild-wars-2-destaque

Compartilhe:   

Guild Wars 2: Uma longa espera para retornar ao mundo de Tyria

por Com limão

Por Michele Pandini

Para começar a falar esse jogo eu preciso desabafar um pouco. Não sei vocês, mas eu sempre desconfio quando leio em sites, blogs e revistas todos concordando sobre um jogo muito bom. Afinal, já diria Nelson Rodrigues que “toda unanimidade é burra”. Enfim, foi exatamente o que aconteceu com o game Guild Wars 2, segundo capítulo de um game que já jogo há seis anos. Diversos elogios e poucas críticas fizeram com que ficasse receosa em relação ao game.

Receios que se dissiparam quando finalmente pude testá-lo durante o Beta Weekend.

A origem de Guild Wars: Um MMORPG

Para aqueles que não conhecem o universo de Guild Wars acho que vale posicionar aqueles que não conheceram o primeiro jogo.

Guild Wars 2 é a continuação do MMORPG da ArenaNet chamado Guild Wars. Lançado perto de World of Warcraft, o game foi dividido em três campanhas: Prophecies, Factions e Nightfall, além de uma expansão chamada Eye of the North. Este MMORPG tinha como diferencial uma história com começo, meio e fim, ou seja, você zerava como qualquer jogo de videogame. É claro que quando você chegava ao fim, o jogo não acabava. Você podia fazer as quests do mundo, ajudar outros jogadores, participar do PvP e etc. O que diferenciava GW dos outros jogos eram alguns aspectos. Primeiro que você só podia usar oito habilidades de cada vez. Nada de ficar carregando tudo pra cima e pra baixo como outros jogos fazem. Outra característica é que você só interagia com as pessoas nas cidades. Quando você ia para as áreas de luta era só você e seu grupo.

A importância em interagir com outros jogadores

Acho que Guild War 2 é o primeiro MMO que conheço onde a grande chatice/inferno não é resultado da intervenção dos outros jogadores. Pelo contrário, como em Guild Wars 2 não dá para roubar itens ou XP, você fica incentivado a interagir com outros jogadores durante as batalhas, pois no fim todos irão ganhar o mesmo XP e itens.

Independente de como é o jogo ou da beleza que existe nele, acho que a maior experiência que Guild Wars 2 pode trazer para o mercado é um jogo cooperativo. Quantas experiências existem hoje que são REALMENTE cooperativas? Pensar e elaborar uma estratégia para o grupo como um todo não é tarefa fácil. E esse jogo desempenha isso de maneira exemplar.

Raças que se alteram durante o jogo: Vale a pena comprar Guild Wars 2?

As raças existentes no jogo, ou seja, Humanos, Norns (vikings gigantes), Sylvaris (homens plantas), Charrs (felinos) e os Asuras (só vendo a imagem abaixo para tentar entender). Independente da escolha da raça, suas habilidades vão depender da arma que está usando e a classe/raça que você escolheu. Aliás, este era um aspecto que já me chamava atenção no primeiro game. Cada classe podia se comportar de uma maneira e, se você não gostou de como estava, podia mudar suas habilidades dentro da cidade. Você não tinha problemas como: “Se você for guerreiro, você tem que ser assim e ponto!”.

Mas a sensação que tive no segundo jogo é que eles fizeram de tudo para balancear ao máximo os poderes, ao mesmo tempo em que se sente um herói dentro de uma grande jornada. Seja salvando uma fazenda durante um incêndio ou lutando contra fantasmas que controlam estátuas gigantes.

Apesar do jogo ainda não estar pronto e só ter dado um pouco do gosto que teremos no final, a sensação que fiquei é que se ele tivesse disponível, eu não iria parar de jogar. Faria a história do meu personagem, depois procuraria eventos na cidade, ajudaria outros jogadores e voltaria a fazer tudo isso.

É incrível como ao jogar Guild existe a sensação de que sempre existe algo a se fazer. A curiosidade em saber como as outras classes e raças interagem resulta no jogador horas e mais horas imersos no mundo de GW2. Se você gosta de MMOs, você precisa dar uma olhada em GW2. Se você odeia MMOs, então você precisa conhecer GW2.

Apesar de já entrar em pré-venda Guild Wars 2 ainda não possui data de lançamento. No entanto, para aqueles que pretendem se deslumbrar com os gráficos fantásticos de GW, a ArenaNet colocou à venda três versões:

Standard: US$ 59,99 (aprox. R$ 110)

Digital Deluxe: US$ 79,99 (aprox. R$ 145)

Collector’s Edition: US$ 149,99 (aprox. R$ 275)

Cada uma delas com um extra. Entre eles, uma estátua do personagem Ritlock, com 25 centímetros de altura, presente na edição de colecionador. Abaixo você confere um pouco do gameplay e uma apresentação das raças de Guild Wars 2.


Com limão tornou-se muito mais que um site. Após anos no ar, ele virou uma mistura de ideias com um toque especial, escrito por profissionais do mercado mundial.

Eles podem tirar nossas vidas, mas nunca poderão tirar nossa liberdade – William Wallace, em Coração Valente


3

3 Responses to Guild Wars 2: Uma longa espera para retornar ao mundo de Tyria

  1. Bruno says:

    Primeiramente, parabéns pelo site!

    Michele, estou pensando seriamente em comprar esse jogo. Gostaria apenas de um esclarecimento.

    É possível jogar casualmente esse game? Qual versão você indica para comprar? Deluxe ou Standart?

    Cordialmente,

  2. Magno says:

    pesquisei praticamente um mês até chegar ao seu site, obrigado pelas dicas

  3. Max says:

    Ta aí um jogo que não canso, sempre tem gente fazendo live pelo Twitch e o jogo é muito bom, parabéns pelo artigo, achei ele no Google e tudo que é relacionado ao GW me atrai, vlw.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


Voltar para o topo ↑

  • Newsletter

  • Últimos tweets

  • Facebook