Compartilhe:   

3D, Ultra HD ou OLED: Qual será a sua próxima televisão?

por Victor Vasques

Não é novidade que a evolução da TV anda a passos largos acompanhando a história da humanidade. Nós, do Com Limão, fomos a fundo buscar alguns detalhes para entender um pouco mais sobre esta evolução..

Atualmente um dos fatores de decisão quando procuramos esse tipo de eletrônico normalmente está ligado a qualidade, resolução, ângulos de visão profundidade, cor, brilho e, claro, o tamanho.

Na era dos conectados, vemos telas cada vez maiores, onde às vezes nem o olhar humano pode atingir (o ser humano consegue enxergar 10 milhões de cores distintas). Pensando nisso não temos como não nos depararmos com as fabricantes de TVs que estão investindo quantias significativas em pesquisas com os consumidores para descobrir quais preocupações mais importantes, aumentando a competitividade em termos de desenvolvimento de tecnologia, que vão das TVs convencionais 2D, passando por TVs 3D, Full HD, Ultra HD e OLED.

A invasão 3D nas casas brasileiras e do mundo

Uma pesquisa da Display Search (cedida pela LG) prevê que até 2018, 64 milhões de TVs 3D estarão nas casas do mundo todo.  Outra coisa que chama muita atenção é o controle remoto, que aciona em apenas um clique novelas, jogos, filmes e séries seja no 3D, com maior sensação de profundidade e realismo.

Ultra HD: A ascensão das bilhões de cores

Jaz o Ultra HD oferece resolução quatro vezes superior ao Full HD e pode produzir nos televisores cores que não poderiam ser vistas, além disso, o tamanho das telas está aumentando cada vez mais com TVs que chegam a 84 polegadas e já estão disponíveis no mercado.

Lançada em novembro de 2012 pela LG, a TV Ultra HD (4K) de 84 polegadas, aumenta em quatro vezes o número de pontos de uma imagem Full HD, ou seja, atinge resolução de 3840 x 2160, permitindo uma imagem muito mais nítida, sem pixelização (o que significa que mesmo perto da tela, não é possível enxergar os pontos que compõem a imagem).

A “cinturinha fina” do OLED

A tecnologia OLED é a mais altíssima qualidade de imagem e necessita de menos camadas, o que torna as TVs mais finas e consequentemente diminui o custo de sua produção. O painel não necessita de luz de fundo, pois cada pixel emite cores vermelhas, azuis, verdes e produzem a cor preta muito mais escura. Nos próximos anos, a OLED causará grande impacto no mercado, sugerindo que teremos mais de 9 milhões de unidades comercializadas em 2016.

A LG adiantou alguns detalhes da OLED durante o Digital Experience 2013, em janeiro, e trará a próxima geração de tecnologia para televisores com apenas 4 mm de espessura e 7,5 quilos.

Os benefícios da TV OLED transcendem à tecnologia e contribuem com o meio ambiente eliminando o uso do backlight e minimizando o consumo de componentes na fabricação do produto (já queremos uma!).  Um adendo:  A LG pretende lançar a TV OLED no Brasil no segundo semestre de 2013. E você, já decidiu qual será a sua próxima televisão? Afinal, a Copa está chegando e será ótimo momento/desculpa para trocar a tela antiga da sala.


Victor Vasques é designer, editor chefe do Com limão e sócio proprietário da Citrus. Worklover assumido, já atuou com grandes marcas, como Discovery, UOL, iG e Itaú.

Eu irei lhe fazer uma proposta que você não poderá recusar - Don Vito



Voltar para o topo ↑