Salão do Automóvel 2018: Pensando o futuro além dos carros

Compartilhe:   

Salão do Automóvel 2018: Pensando o futuro além dos carros

por Victor Vasques

O Salão Internacional do Automóvel de São Paulo 2018 termina no próximo domingo (18), mas se você não está na cidade ou mora muito longe, o Com limão traz o Salão até você e conta alguns detalhes de bate papos exclusivos.

A edição 2018 pode ser dividida em três categorias: montadoras clássicas (e que, por muitas vezes, parecem ter parado no tempo), montadoras vendedoras (que só estão no Salão para apresentar os novos modelos) e as montadoras do futuro (aquelas que estão pensando o futuro de alguma forma). No texto de hoje, vamos nos focar nessa última classe. Confira um pouco de cada uma delas:

Ford: O futuro é pensar a mobilidade

Já não é de hoje que temos falado aqui, no Com limão, e no InovaSocial como a Ford mudou a sua visão de futuro do mercado automotivo. Isso tem refletido nos produtos da marca norte-americana e em diversas estratégias de longo prazo. A Ford tem pensado muito na questão de equidade e como pode ser uma marca para todos. Como já havia adiantado lá no NovaPost, a marca trouxe na sua prévia do Salão um protótipo do tapete de acessibilidade. Isso é apenas um detalhe de todo o universo que a Ford tem pensado para o futuro da mobilidade.

Isso quer dizer que a Ford Brasil, que completa 100 anos no próximo ano, vai parar de produzir automóveis? Não, pelo contrário. Pensar mobilidade não significa abdicar do carro, mas usar ele de forma inteligente. E parece que a Ford tem vários planos para influências nessa inteligência coletiva.

BMW: Tecnologia e o futuro elétrico

O futuro do mercado automotivo para a BMW é elétrico e hiper tecnológico. Carregador para carros elétricos sem fio, estacionamento por controle remoto, comando de voz e gestos para interagir com o carro. Estes foram apenas algumas tecnologias que a marca alemã trouxe para o Salão 2018. Coisas que parecem ter saído de um filme de ficção (ou do 007), como o estacionamento estacionamento por controle remoto e reconhecimento por gestos e um assistente pessoal para veículos foram mostrados na prática, ou seja, não estavam presentes em carros conceitos.

Já o universo dos carros elétricos ganhou um reforço não só com a marca BMW, mas também com os charmosos MINI. A parte interessante do universo elétrico destas marcas é que elas não abdicaram por completo da gasolina. Como a infraestrutura de carregadores elétricos ainda é algo minúsculo (pelo menos no Brasil), o motor a combustão dos BMWs servem como carregadores do elétrico.

Por fim, o carregamento indutivo (BMW Wireless Charging) é algo que depende de uma evolução de infraestrutura, mas a marca já mostra como uma solução para os estacionamentos do futuro. Assim que o veículo estiver estacionado sobre uma estação de carregamento indutivo (GroundPad), o processo de carregamento é iniciado com um simples toque no botão Start/Stop. Quando a bateria estiver totalmente carregada, o sistema é desligado automaticamente.

Salão do Automóvel 2018: Pensando o futuro além dos carros

FCA: Fiat e Jeep – Os padrões de beleza são outros

Um dos “ícones” do Salão do Automóvel são as modelos vestidas a vácuo. Mas isso tem mudado bastante nas últimas edições e uma das marcas que mais tem entendido essa questão é a FCA (Fiat Chrysler Automobiles), marca mãe da Jeep e Fiat.

Na edição deste ano, as marcas trouxeram modelos (homens e mulheres) que desafiam os padrões de beleza tradicionais. Entre os presentes, modelos com próteses mecânicas, dreadlocks, vitiligo e síndrome de Down atendem o público geral e dão uma aula de simpatia.

Jeep - Salão do Automóvel 2018: Pensando o futuro além dos carrosCréditos: Marcos Camargo / Divulgação

Jeep - Salão do Automóvel 2018: Pensando o futuro além dos carrosCréditos: Marcos Camargo / Divulgação

Com o DNA de quem saiu da Semana da Moda de Milão, a Fiat teve um cuidado especial com a roupa das modelos, que pareciam ter sido feitas sob medida para cada uma delas, mostrando que a marca não faz apenas carros, mas busca criar tendências no design dentro e fora do universo das quatro rodas.

Mercedes-Benz: O ecossistema elétrico será o futuro

Já para a Mercedes, o ecossistema do carro elétrico é o futuro da mobilidade. Apesar de ter trazido para o Salão 2018 um carro conceito, o SUV Concept EQ (EQ deriva de “Inteligência Elétrica”), a marca alemã nos contou que vê o ecossistema elétrico como uma boa oportunidade para o mercado automotivo.

EQ Mercedes - Salão do Automóvel 2018: Pensando o futuro além dos carros

Muito mais que vender veículos para o consumidor final, a marca alemã acredita que o futuro pode unir os carros elétricos com a tecnologia autônoma, criando um ecossistema para as montadoras que vão além de “só vender o carro”. Além disso, a Mercedes também vê como parte deste ecossistema a rede de fornecedores. Por exemplo, a profissão de mecânico precisará ser ressignificada e a marca se preocupa como será feita essa migração para o profissional do futuro.


Victor Vasques é designer, editor chefe do Com limão e sócio proprietário da Citrus Consultoria. Como gestor de marcas e criativo, já atuou com grandes marcas, como Discovery, UOL, iG, Globo.com e VEJA.

Eu irei lhe fazer uma proposta que você não poderá recusar - Don Vito


0

Voltar para o topo ↑

  • Newsletter

  • Últimos tweets

  • Facebook