Redes Sociais

Olá, o que você está procurando?

Review

EcoSport 1.6 AT: Testamos e explicamos o “ponto H”

No último mês tenho vivido uma verdadeira experiência EcoSport. Depois de ser enviado para Bento Gonçalves, onde testamos o modelo em estradas de todos os gêneros, agora foi a vez da EcoSport vir até mim e ficar alguns dias para testes aqui em São Paulo.

Como não somos um site de carros, vou focar mais em dois aspectos: design e “ponto H”. Mas se você ficou curioso sobre o novo modelo, agora com Transmissão Sequencial de seis velocidades, fizemos um pequeno review abaixo. Confira!

Vamos começar pelo design. O último modelo lançado não tem nenhuma novidade em termos de design e, na minha opinião, isso é ótimo. O design atual do Ecosport é genial. Se você olhar o modelo de frente, parece que o EcoSport está te encarando com um olhar “e aí?”, quase que intimidador. Para quem busca um utilitário esportivo compacto com design arrojado, o Ford EcoSport é uma das melhores opções.

Aliás, o EcoSport é um veículo que definiu padrões para este estilo de carro. Um deles é o chamado “ponto H”, ou seja, medida que determina a altura do quadril do motorista em relação ao solo (o nome vem da palavra “hip”, quadril em inglês).

Essa altura elevada, ou “posição de comando”, é que faz muitos motoristas, especialmente as mulheres (e o EcoSport é um carro feito para mulheres!), se sentirem mais confortáveis e seguros ao dirigir o veículo, devido ao ângulo de visão maior em relação aos outros carros. No SUV da Ford, essa medida tem 69 centímetros, ou seja, cerca de 15 centímetros a mais que um hatch ou sedã compacto convencional.

ford-ecosport-review-ponto-h-com-limao-01

Na visão da engenharia, o “ponto H” tem um papel ainda mais importante para o desenvolvimento do produto. “É a partir dessa posição do motorista que são definidos os demais parâmetros da cabine, como a ergonomia do volante, painel, console e portas”, diz Luciane Maia, supervisora de arquitetura interna de veículos da Ford.

ford-ecosport-review-ponto-h-com-limao-03

E não é só a posição de guiar. O “ponto H” influencia outros aspectos da concepção do veículo, como facilidade de entrada e saída da cabine e conforto do motorista em viagens longas. Quando esse ponto é mais alto, o carro tende a oferecer maior espaço interno. Este é um detalhe que dá para perceber facilmente. É nítido o espaço entre o volante e o motorista (ajustável, é claro!).

Mas é a harmonia desse conjunto que dá ao motorista a sensação de estar no comando, com todos os recursos à mão”, explica a especialista. Outra medida importante associada ao “ponto H” é a altura que o carro tem do solo. Com 20 centímetros de vão livre, o EcoSport supera com facilidade tanto lombadas na cidade como a estrada de terra para o sítio no fim de semana.

Leia também

Design

Tem sido interessante observar a movimentação das montadoras de carros nos últimos anos. Algumas direcionaram seu modelo de negócio para mobilidade, outras adotaram a...

EcoDesign

Conheça o Toyota Prius, modelo que garante conforto, alta tecnologia e menor impacto ambiental

Futuro

O começo de ano é sempre uma incógnita para todos. Muitos planejamentos de atividades, metas com números e orçamentos financeiros. Mas, este ano, em...

Design

Esse título pode ser confuso para muita gente, mas como diz Ruben Pater no Livro “Políticas do Design” (um livro necessário para qualquer designer...

Copyright © 2020 Com limão. Todos os Direitos Reservados.