Redes Sociais

Olá, o que você está procurando?

Design

O que a LEGO nos ensinou nos últimos 80 anos

Da administração a inovação, LEGO comemora 80 anos nos ensinando lições em diversas áreas

Inicialmente este post seria apenas um “short post” para o Facebook do Com limão (para aqueles que já acompanham a nossa fan page, devem ter percebido que aumentamos o número de publicações por lá).

No entanto, após assistir os 17 minutos de vídeo, eu percebi que era impossível resumir a infinidade de lições em apenas um parágrafo. Afinal, este é um vídeo especial, pois comemoram os 80 anos de existência da LEGO.

As 5 lições LEGO: Da perseverança ao branding

Criado pelo dinamarquês Ole Kirk Christiansen, a marca LEGO (síntese de “leg godt”, em tradução livre “brincar bem”) nasceu, do que sempre foi, seu conceito principal: a reconstrução. Isso porque, muito antes de se tornarem em pequenos tijolos de plástico, a empresa familiar desenvolvia – artesanalmente – brinquedos de madeira.

Mas ao mesmo tempo em que as vendas não iam bem, um incêndio destruiu a fábrica da família. Com isso, aprendemos a primeira lição LEGO: Nunca desista de um sonho!

Muito além de uma reconstrução da empresa (tanto física, quanto conceitual), um dos fatores que fizeram diferença no sucesso que a marca é hoje, foi perceber que era necessário uma marca. Muito mais que uma marca, uma essência que explicasse o espírito e o objetivo do brinquedo. O que nos leva a mais uma lição: Branding não é apenas uma ferramenta, é um pilar para o sucesso.

É claro que nem mesmo com uma gestão de marca fortíssima é possível vencer, se o seu produto for ultrapassado ou desligado das necessidades dos consumidores. O que nos leva a terceira lição: Inovar é estar aberto a oportunidades inusitadas. Ou você acha que o criador daqueles brinquedos estava realmente procurando uma máquina de plástico injetado, quando “tropeçou” no conceito dos pequenos tijolos coloridos?

No entanto, a LEGO ainda carecia de um detalhe. Ela queria dar ao seu consumidor, um produto pronto para uso, ignorando o lado criativo do ser humano. Em resumo, a quarta lição é: A simplicidade pode ser uma ótima ferramenta para a criatividade. Oras, não era necessário entregar uma cidade pronta para a criança brincar, bastava criar blocos de diversos tamanhos e deixar a tarefa para a imaginação do consumidor, ou como alguns designers gostam de falar, menos é mais. Quanto mais simples o produto, mais utilidades poderão aparecer. A criatividade é uma das essências do ser humano, sem ela nós nunca teríamos saído da caverna.

Por fim, a quinta lição: Seu business core pode ser expandido para as mais diversas áreas. Isso quer dizer que, se você produz brinquedo, não é loucura criar um parque temático. Foi acreditando nisso que a marca nos deu a Legoland!

É claro que todos os pontos acima foram apenas brincadeiras/exercícios de criatividade, no entanto é inegável que a LEGO nos tem ensinado lições nos mais diversos campos, da administração, passando pelo marketing e indo até a criatividade. Afinal, não é toda empresa que chega aos 80 anos de idade com uma multidão de fãs!

Leia também

Design

A Intel anunciou nesta semana (02), uma grande mudança no logotipo e reformulação de toda a identidade visual institucional e de produtos. Desde a...

Design

Uma das estratégias mais legais no desenvolvimento de marcas é o co-branding, ou seja, quando duas marcas se unem para criar um produto ou...

Futuro

No quinto episódio do Gravidade Zero, vamos falar sobre design. Sim, parece simples, mas o design impacta o nosso cotidiano de diversas formas. Para...

Design

A Shark Week (Semana do Tubarão, em português) é um evento clássico do Discovery com o objetivo de celebrar essas criaturas fantásticas e incentivar...

Copyright © 2020 Com limão. Todos os Direitos Reservados.