Redes Sociais

Olá, o que você está procurando?

EcoDesign

Herman Miller Aeron torna-se eco friendly com plástico reciclado

Herman Miller Aeron Torna-Se Eco Friendly Com Plástico Reciclado

Desejo de muitos e uma obra-prima do design, a Herman Miller Aeron é a cadeira de trabalho mais icônica do mundo. Projetada em 1994, visando um mundo onde as pessoas passavam cada vez mais horas em frente à tela do computador, a Aeron é a cadeira mais vendida da marca (que recentemente completou a aquisição da Knoll por US$ 1,8 bilhões e rebatizou o novo grupo de MillerKnoll).

Nesta quarta-feira (01), a marca anunciou o próximo passo da linha: tornar-se sustentável. Segundo a empresa, todo o seu portfólio de cadeiras Aeron conterá plástico marinho, incluindo uma nova cor, chamada de Onyx Ultra Matte. Para isso, cada cadeira conterá o equivalente a 114 garrafas plásticas. A ação faz parte da associação da Herman Miller à NextWave Plastics, seu compromisso contínuo com a sustentabilidade e a meta de longo prazo de aumentar o conteúdo reciclado para pelo menos 50%, incluindo o uso de plástico marinho em todos os materiais que a empresa usa até 2030.

Leia mais sobre economia circular no Mundo Circular

No caso da Herman Miller Aeron, a empresa está usando esses plásticos recuperados para construir 100% de dois componentes principais da cadeira: sua estrutura traseira de náilon e suas tampas de inclinação sob o assento (uma caixa que abriga mecanismos de ajuste). “Estamos tentando criar um mercado para materiais residuais, demonstrando que você pode usá-los e colocá-los em produtos premium ”, afirma Gabe Wing, diretor de sustentabilidade da marca.

O principal desafio de incorporar plásticos reciclados em qualquer produto que precise ser flexionado é que eles são menos previsíveis do que os plásticos “virgens” produzidos diretamente de óleo refinado. A Herman Miller produz muitos componentes de sua cadeira derretendo plástico virgem e inserindo em moldes de injeção. No caso dos recicláveis, todos os tipos de aditivos residuais estão presentes porque não existe uma única formulação de plástico. E você pode realmente ver (a olho nu) essas diferenças, como cor, formato e textura.

A Herman Miller trouxe seu próprio fornecedor de plástico para avaliar sua linha de montagem e oferecer seu conhecimento técnico de moldagem do material. Em alguns casos, usar o material reciclado significava reconstruir e redesenhar as ferramentas da linha de produção. Um grande desafio para uma marca que produz milhares de produtos por ano.

“Se você pensar bem, projetamos todo o processo de fabricação em torno daquele material virgem que estávamos usando. Para mudar esse material, tudo está conectado. Estamos ajustando à força um material em um processo para o qual ele nunca foi projetado ”, diz Wing. “Às vezes funciona. Podemos girar alguns botões e modificar a ferramenta. E às vezes você simplesmente não consegue.”

Leia também

Impacto

O CO² é um dos grandes inimigos da nossa era, e um dos setores que causam maior impacto em um volume gigante de emissões...

1Bitcoin

Criptomoedas e blockchain são postuladas recorrentemente como um percalço no caminho para a sustentabilidade, ainda assim, é importante ratificar que a tecnologia, surgida na...

EcoDesign

Neste mês de maio a Heinz anunciou, em parceria com a Pulpex, que irá passar a vender ketchup em garrafas de papel. A versão será...

Impacto

O consumo sustentável vem cada vez ganhando mais força e investimento, e o aplicativo de entregas iFood está com o objetivo de reduzir o impacto...

Copyright © 2020 Com limão. Todos os Direitos Reservados.